Skip to content

OSCAR – Eu é que sou o prezzzzidente!

Março 3, 2010

Ora, se o Herman andou para aí a dizer que era o prezzzidente da junta, porque não eu, por uma noite, ser também o Presidente, não de uma simples freguesia em Fornos de Algodres mas de uma outra, mais glamorosa, lá para os lados dos anjos nos states, a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas. Sim, o que eu queria mesmo era mandar aquela gente toda, ditos jurados, às urtigas, que os distintos membros fossem mas é emborcar uns copos de dry martinis e snifar umas coisas numa qualquer festa VIP, e ser a minha pessoa a decidir quem leva a estatueta dourada de um homem nu com uma espada na mão, estranha imagem esta!, por muito menos já há quem se tenha deitado no divã a dizer sandices psicanalíticas enquanto o senhor doutor pensa nas contas que tem para pagar e nos cortinados do consultório que estão a precisar de uma boa lavagem.

oscar_destaque

Presidente, porque não? Ao que gasto em cinema, do verdadeiro, em sala de grande ecrã, e ao que aturo nesses espaços, desde pipocas voadoras a sorvedores de coca-cola obesos, já me dá um karma suficiente para ter direito a uma golden share na mesa das votações. Então se um pimpolho, ainda com fraldas universitárias, estava lá na PT a decidir o ora compra, ora vendo, ora não sei se corto o cabelo, muito mais posso estar eu na Academia a decidir os prémios do melhor cinema europeu e mundial, que é como quem diz, do realíssimo cinema americano. Podem querer que fazia melhor figura do que aqueles jurados, primus inter pares, a espetarem-se facadas uns aos outros – com que então copiaste a minha ideia, agora não vais ver a cruzinha no teu nome nem que a vaca tussa – e, ainda por cima, poupava uma pipa de massa na contratação dos homens de negro da empresa de auditoria Pricewaterhouse Coopers que fazem a contagem da votação, especialmente porque os senhores doutores este ano arranjaram um bom caldinho para eleger o melhor filme, não será o mais votado mas sim o que tem mais votos distribuídos na grelha que numera de 1 a 10 a preferências, enfim uma confusão matemática em que, se não houver tino, dá uma regabofe maior do que era antigamente. Tenho para mim que, por vezes, eles devem ir beber um copo lá no bar da esquina de Los Angeles, e depois voltam bem alegres e baralham os votos todos, é que há anos em que determinados prémios parecem mesmo fruto de uma grande bebedeira.

Vejamos então o que eu fazia como Presidente:

tarantino

Para começar, chamava logo o Tarantino e dava-lhe o prémio de melhor realizador, rapaz, tu mereces, és um génio um bocado atolambado, é certo, essa cabecinha deve ter batido num armário em criança, mas foste o melhor da cantareira, a tua homenagem ao cinema, como imolação da própria História, está de mestre, conseguiste fazer 3 filmes num só, o que não é para qualquer um. Ó James tem lá paciência, até podes ter reinventado o cinema, mas já tens umas estatuetas na lareira e não podemos abusar, ainda estragava a decoração. Jason amigo, o presidente está contigo, não amues que mais ano, menos ano, e a continuares assim, ficas nas nuvens e o prémio será teu.

f92d4415288862ad16a1b0f7be3c4b09

Na representação, primeiro as senhoras. Meryl sobe lá a escadarias, puxa o vestido Valentino para não tropeçares e acabares com as ventas, perdão, a carinha, esparramada no chão, onde os apresentadores já fizeram umas piruetas ridículas para mostrar que são muito engraçados, e saca do papel dos agradecimentos que este ano o prémio tem mesmo que ser teu, não há Júlia como a tua e já me cansa ver-te toda amarela e sorridente a bater palmas, com aquele ar de já estou a ficar farta de vir cá todos os anos e nada. Tens que levar o Oscar porque mereces este ano e todos os outros que ficaram para trás, aliás, como presidente, acho mesmo que vou criar a categoria Meryl Streep para te dar um todos os anos, pronto, para não haver queixinhas, a Judi Dench concorre também nesse departamento especial. Olha, já que tens 2 lá em casa, dá aí uma trinca no braço do boneco e entrega-o à Sandrinha que ela também merece.

Nas Secundárias este ano isto está fraquinho, até eu, grande Presidente, nem sei o que dizer. Sei que o outro pessoal, aqueles jurados que nem digo o nome, quer dar o prémio à Mo’nique, estão a ver, ela pôs-se a jeito, personagem negra, obesa, analfabeta e má como as cobras está mesmo a pedi-las, eles gostam sempre de premiar actores que se confundem com as próprias personagens. A Penélope, até que é a melhor coisa do Nove, mas não o pode levar outra vez, olha, se calhar entrego à Vera Farmiga, sempre tem piada ver uma actriz bonita, bem feminina, a fazer de gaja que age como gajo e a dar sopa ao pastelão do Clooney, ups!, acho que cometi uma inconfidência fílmica.

1474753371232936952d5345a09c2387

Bom, nos homens actores, e ao nível do Principal, o dito Clooney está fora de questão, é Clooney a fazer do sempre martini-nespresso Clooney, ainda que nas nuvens o homem voe que é uma maravilha. Eu até dava o prémio ao Colin, não só porque é um actor e peras, como faz um óptimo desempenho no Um Homem Singular, além do mais é preciso um Compensan Oscárico para o redimir das figuras que fez no Mamma Mia, mas, meu deus, se volta a ganhar um papel gay na categoria de melhor actor principal ainda cai o Carmo e a Trindade e temos a brigada reumática da Isilda a fazer manifestação à porta do Kodak Theatre. Assim, e porque não me apetece ter mais um directo da verruga estrambótica, género ai que o tio Gaspar, um querido, que me ajudou a decorar a sala de casa de campo, me entrega tudo ao Carlão da sua vida, vou dar o prémio a um outro grande senhor, Jeff levas o pisa papeis dourado e não digas que vais daqui, tu mereces e já é tempo de o pessoal levantar o cu da cadeira e dar-te uma ovação.

No secundário é o Christoph Waltz e não quero ouvir nem um pio, ou desato já aqui aos tiros. Quero lá saber que o Matt até vai muito bem no Invictus e que o Eddie está um grande mensageiro da desgraça, eles que vão lá para fora e resolvam a coisa ao murro. Imaginem um papelão daqueles, o do Christoph, que aparece no cinema só de vez em quando, a sair daqui com as mãos abanar. Só por cima do meu cadáver.

09b184ca77735a03196cae7f0275cefd

Avatar não afiambrou nenhuma nomeação nas categorias de argumento, também pudera! Só mesmo se a academia fosse sarcástica e o nomeasse simultaneamente para melhor argumento original adaptado, pois o filme, apesar de sair da lavra inédita do Cameron, adaptou, com o maior dos descaramentos, Dança com Lobos sem pestanejar. Agora, bem vistas as coisas, a Academia acabou mesmo por mostrar o seu lado bem-humorado ao nomear para argumento original o Mark Boal pelo filme Estado de Guerra. Aquilo tem uma originalidade dos diabos, nos primeiros 10 minutos estão a desarmar uma bomba, aos 30 estão a desarmar outra, aos 50 novamente a cortar fios e lá para o fim, originalmente, estão a quê?, surpreendentemente, a desarmar uma bomba. Bolas, senhor, não sei como aguentei semelhante ritmo frenético com tanto twist no enredo. O melhor é mesmo dar os prémios ao Tarantino, no argumento original, que o rapaz sempre que escreve diálogos é um autêntico mestre, e aos Jason Reitman e Sheldon Turner Sheldon, no adaptado, que puseram uma narrativa toda escorreita bem lá nas nuvens.

1c652af04fde1fc74da96d6578939a9b

Nos prémios técnicos vamos despachar isto, que esta gente quer mas é deitar-se, e entregam-se todos ao Avatar, inclusive onde ele não está nomeado, eu é que sou o Presidente e faço as regras como me apetece, ou é assim ou já não brinco mais. Para quê perder tempo, o filme põe todo os outros num saco e qualquer comparação, do ponto de vista técnico, é perfeitamente deslocada, é como andar a comparar o bacalhau do Quim Barreiros com o Tannhäuser do Wagner.

pixar-up-russell-carl-kevin-dug

Até gosto muito da minha Carolina, perdão, Coraline, tão querida, a miúda está o máximo e o filme também, mas em ano de Up não se pode ter outra hipótese nos filmes de animação a não ser o Altamente, há lá coisa maior do que aquele poço enorme de ternura metaforicamente transformado numa casa a voar com balões à procura do graal do sonho? O único senão da Pixar é que depois do crescendo de Ratatouille, Wall.E e Up só tem mesmo que nos desiludir nos filmes que fizer a seguir, a fasquia ficou tão alta que se tornou quase impossível ultrapassá-la, a menos que estes lunáticos animadores, em lugar de estarem sentados num envidraçado de uma qualquer ruela de Los Angeles, estejam refastelados no Olimpo e que a produtora sejam apenas uma fachada de disfarce para se misturarem com os humanos. Se eu para o ano, após o visionamento do seu próximo projecto, tiver que engolir estas palavras, que me vão desiludir, juro que vou a pé, com vela na mão, até à porta da empresa e rogo pela sua imediata canonização artística. De caminho, e já que estou perto dos deuses, meto uma cunha cá para o burgo a ver se coisa se anima e perdemos este amargo deprimente que nos anda na boca há muito, pode ser que o recanto luso se esfume e flua para dentro de um dos seus filmes, provavelmente não perdíamos o rasto aos idiotas que nos consomem mas que ia ser muito mais divertido, lá isso ia. Imaginem o que era podermos atar uns balões à maioria dos políticos, ter um robot a empilhar todos processos jurídicos estéreis ou mesmo um rato a cozinhar peças jornalísticas de qualidade superior.

inglourious_basterds-still-1

E para o fim, o grande final, o Óscar do melhor filme. Este ano, com a mudança das regras, uma pessoa parece um miúdo na montra de uma pastelaria, tanta coisa cremosa para escolher que até ficamos com os olhos em bico por não saber qual levar. O melhor é mesmo subverter isto, se os homens alteraram as regras e puseram 10 a concurso, com um esquema ponderativo idiota, então eu, como presidente, vou dividir os Oscar em fatias, tipo salame, e  repartir a coisa. Ok, comecemos pelo Avatar, que merece uma boa fatia de Oscar pela originalidade e o deslumbre visual com que nos presenteou, depois, e já que estamos em maré de naves e gente esquisita, outra fatia para o Distrito 9, uma metáfora genial sobre a condição humana em forma de alien, claro que o meu Up’zinho também tem que levar um naco do prémio, poucos filmes conseguiram tornar fílmica a ternura como este, e, finalmente, a fatia maior ao Sacanas sem Lei porque, se é de cinema que estamos a falar, foi o filme que escreveu o próprio cinema dentro da reescrita da História.

Prontos, agora que já fui prezzzidente por um dia, vou sair na minha limonisine, amiguiiiisima do ambiente, e vou dar um salto até à festa da Vanity Fair, pode ser que apareça nas fotografias. Ah, pormenor importante, fui vestido pelo Manuel Lino Confecções. Publiquem isso por debaixo da foto sff.

Anúncios
6 comentários leave one →
  1. Março 3, 2010 8:47 pm

    Senhor prezzzzidente da Junta,
    eu, cidadão apreciador da sua ao nível das rotundas desta simpática terra, venho aqui dizer que apreciei uma vez mais o seu manifesto político e que irei votar novamente em si, caso decida recandidatar-se após já ter cumprido 10 mandatos consecutivos, fazendo lembrar um outro senhor de um ilhéu.
    Faço também saber que fui em tempos apoiante da senhora Kathryn, a Catarina, a antiga patroa do James, para a eleição de presidente do grupo desportivo. Mas depois de conhecer o seu projecto político fiquei bastante desiludido. Até disse no passado que gostaria que ela fosse a primeira mulher a execer esse cargo, mas gora, digo que o senhor prezzzzidente tem toda a razão. O menino Tarantino é quem merece ocupar esse cargo.
    E a minha total concordância com o menino Jeff. Já o conheço há muitos anos e ele é uma excelente pessoa, que merecia ver distinguido o seu trabalho de calceteiros nas nossas ruas.
    Despeço-me com um abraço, senhor prezzzzidente da Junta

    • bp63 permalink*
      Março 3, 2010 10:53 pm

      Caro eleitor Bw

      Fico contente por ter desistido de eleger a Catarina, a mulher até é cheia de boas intenções mas depois acho que perdeu a mão na massa e aquilo saiu com farinha a mais.

      Acho que o Jeff vai ter direito a nome na rua, já o Tarantino tenho receio que nem chegue a a fontanário, embora se os coen já conseguiram porque não ele?

      O facto do UP ir levar pelo menos 1 prémio e estar nomeado para melhor filme já fico feliz. Então o facto de terem recohecido o Distrito 9 ainda mais.

      Sabes que com o sistema estúpido de votação para o melhor filme pode ser que haja surpresas e UP pode levar a melhor se for muito nomeado como 2º.

  2. Paula permalink
    Março 3, 2010 10:03 pm

    :))

    Extraordinário ..Sr. Prezzzidente da Junta ! Para quem como eu não pesca nada neste lago , até conseguiu hoje descobrir quais os peixes que estão na berra !

    Votarei sempre em si , mesmo não percebendo nada de nada , nadinha mesmo desta pescaria ! 🙂

  3. bp63 permalink*
    Março 3, 2010 10:55 pm

    Cara eleitora Paula

    Espero que não confunda um robalo com uma sardinha, mas mesmo assim espero que saborei bem. A junta irá abri um bom mercado 🙂

    Obrigado pelo seu voto

  4. Anónimo permalink
    Março 5, 2010 9:26 pm

    Gostei das indirectas da introdução.

    Estamos de acordo na Merryl e no Jeff, mas tenho algumas dúvidas no Quentin. Adorei Pulp Fiction, mas é amargo como caraças.

    Ratatouile e Wall.e foram altamente, mas ainda não vi UP. Vou ter que ver.

    Não podíamos arranjar mais uns balões e juntar os jornalistas e o ministério público aos políticos…

  5. Março 5, 2010 9:33 pm

    Juro que não estava com medo dos jornalistas…

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: