Skip to content

Carta de um jovem Vampiro – (Também quero estar na onda)

Novembro 10, 2009

Querido pai, querida mãe

Então que tal?

Cá vou indo do jeito que o sangue quer, umas vezes bem, outras vezes mal.

A coisa não está fácil por aqui, a qualidade do produto tem baixado muito nos últimos tempos, as pessoas já não são o que eram e nós é que pagamos a factura.

No outro dia, uma vizinha minha, que se andava mesmo a oferecer, apareceu-me toda fogosa no elevador, com um decote generoso a desaguar num peito de sustentação quase vertical, e eu não resisti, ali mesmo dei-lhe uma valente dentada. Como as coisas enganam! Ela cheia de bom aspecto mas o sangue era uma coisa tão desenxabida que tive que o cuspir logo ali. Não sei se para manter a linha, ou se para poupar, há compras de sapatos e malas para fazer, o que é certo é que agora a este tipo de mulher só lhe dá para comer saladas, coisas integrais e outras que tais, desde que light. Claro que depois, uma pessoa tenta beber aquilo e nem os requisitos mínimos de hemoglobina tem, mais vale diluir groselha em água que sempre tem melhor sabor.

Para compensar tentei petiscar uma outra, bem rechonchuda, que é caixa no supermercado do bairro, e que me estava sempre a fazer olhinhos. Esperei nas traseiras do estabelecimento e, mal ela saiu, atirei-me de cabeça. Bom, a mulher quando me viu guinchou de tal forma que parecia que a estavam a matar, mas, ao contrário do que eu pensava, não me repeliu, antes pelo contrário, apertou-me com força, com tanta, que acabámos por cair sobre umas caixas de fruta podre, ainda tenho umas nódoas negras nas costas das tábuas da maçã starking. Por pouco não acabei sufocado em tanto reboliço de carnes, só o peito dela dava para me afogar. Foi com muito custo que consegui libertar os dentes e dar-lhe uma valente trincadela. Mas foi mesmo só uma, porque não consegui ingerir mais. Mal o sangue me passou pelas goelas devo ter ficado com o colesterol a rebentar todas as escalas. Quase que recebi um brinde de Happy Meal, tal era o sabor a hambúrgueres e pizzas que aquilo tinha.

Isto está mesmo mau, não se consegue apanhar uma pessoa de jeito. O desespero já era tanto, que, passado algum tempo, resolvi mesmo trincar um rapaz que me apareceu pela frente, afinal vivemos numa época de modernices e há que experimentar sensações sanguíneas novas. Só vos digo, ainda consegui engolir alguma coisa, mas ao fim de algum tempo estava com uma moca que já não via nada à minha frente, a cabeça levitava sem parar,  mais parecia que tinha entrado num coffee shop de Amesterdão.

Como se não bastasse tudo isto, já não há respeito pelas nossas pessoas. Antigamente, quando viam alguém com os dentes afiados e os olhos a ficarem vermelhos, fugia tudo a sete pés para a primeira igreja que se lhes aparecesse ou desatavam logo a comer gambas à “l’ajilho”. Agora não, os mais velhos insultam-nos a dizer para ir trabalhar, que isto de andar metido na droga só dá cabo do país, que nos têm que sustentar e mais não sei o quê, há vezes que até nos dão uma moeda quando saem do carro. Os mais novos, esses não se assustam, pelo contrário até acham cool, os rapazes querem logo fazer parte da pandilha e as miúdas suspiram para a que as levemos a uma festa para nos mostrarem às amigas. Só vos digo, uma canseira, já não há pachorra!

A minha esperança, é que, com esta onda de liberalização, eu possa abrir um banco. Não, não é daqueles  financeiros, esses já têm vampiros que cheguem, ainda que de um outro género, mais discretos sugam melhor do que ninguém. Não, vou mesmo abrir um banco de sangue. Porquê andar atrás de fornecedores ambulantes, se eles podem vir até mim fazer os depósitos? Claro que não é a mesma coisa que beber na fonte, mas sempre é melhor do que arriscar directamente em gente pouco segura; é que depois não se sabe o que se consome, ao menos se tivéssemos uma espécie de ASAE vampírica, a malta andava mais descansada. Assim, com este banco de sangue, sempre posso fazer primeiro umas análises e depois beber só o vintage. Mais, estou até a pensar em expandir o negócio e começar a vender algumas das colheitas em excesso. Para as de primeira linha vou lançar o Moet e Sangueon, para as mais rascas apresento o Sangue-Cola. Vai ser um sucesso.

Com isto tudo me despeço,

Dentadinhas de ternura do vosso filho, Dracusélio

PS: Sou capaz de ir aí pelo Natal. 

Anúncios
16 comentários leave one →
  1. Novembro 10, 2009 9:51 pm

    :)) Tinha de vir a tua versão vampiresca para eu voltar a ter esperança nos vampiros.
    Nesta moda de vampiros, onde imperam as novelas para os adolescentes, com coisas tipo “Crepúsculo”, começa a ser difícil encontrar vampiros à moda antiga, dos tais com dentes afiados e olhos vermelhos.
    P.S: é bom ler-te

    • bp63 permalink*
      Novembro 15, 2009 5:56 pm

      BW

      Pois começo a estar farto desta boa onda de vampiros, depois dos feiticeiros do HP agora isto, será que não podia voltar um Senhor dos Aneis?

  2. Anónimo permalink
    Novembro 11, 2009 11:39 am

    ahahahaha

    Ok ! Gostei do novo champanhe e da nova versão da Coca-Cola…mas só aqui…:)

    Eu penso que não é só a procura de sangue…penso que esta procura até é benefica…

    Quanto ás modernices … vampirescas…sei que está na moda , mas sinceramente nem um livrinho…nem um filminho me passará pela frente…não gosto.

    Está excelente 😉

    Beijinhos

  3. Paula permalink
    Novembro 11, 2009 11:41 am

    Esse Anonimo …é anónima 🙂

    E como V.Exa não consegue decifrar as escritas femininas…aqui fica ! 🙂

    • bp63 permalink*
      Novembro 15, 2009 5:57 pm

      Cara An+onima Paula

      Olha que faz bem a modernidade 🙂 mas claro noutras coisas que nos vampiros os queremos à moda antiga

  4. Kurioso permalink
    Novembro 12, 2009 10:09 pm

    Já quase me tinha esquecido do que é um texto com múltiplas leituras.

    Afinal de que falamos?

    Dos vampiros fashion com dentes postiços, roupa preta e caras brancas?

    Dos bebedores de sangue que ninguém conhece (http://www.sanguinarius.org/intro.shtml)?

    Dos sugadores do nosso “sangue” através dos impostos e das trafulhices?

    Dos últimos não deve ser, porque eles engolem tudo o que lhes apareça à frente!

    Abraço.

    • bp63 permalink*
      Novembro 15, 2009 5:59 pm

      Kurioso

      Seja bem-vindo (ainda não arranjei tempo para o cumprimentar na entrada). Se calhar com esta moda de vampiros todas, é que alguns vão buscando inpiração para fazerem a bandalheira que por ainda anda. Mas isso são outros rosários,… eles sugam tudo e não deixam nada!

  5. minda permalink
    Novembro 14, 2009 11:47 pm

    bêpêzinho…

    ta-me cá a parecer que o teu mal é falta de poder de escolha…

    p**** não há alternativas a magricelas anoréticas e colesterolizadas obesas?

    passas logo para mudanças de ramo?

    em que novos ares andas tu metido?

    ai estas vidas modernas e citadinas…

    beeeeijinhos
    minda

    • bp63 permalink*
      Novembro 15, 2009 6:00 pm

      Minda

      Ora outra boa vinda.

      Sim há muita coisa entre o sim e o não, mas o normal é os mais desastrados tropeçarem nos extremos. O me.lhor será +edir análises antes.

  6. Novembro 15, 2009 12:34 pm

    Eu estou com a Minda: então entre a lingrinhas e a gorducha___________ há um vazio de opções ? rs
    E acho também que esses tipos vampiros modernos gostam muito de se dar um ar muito urbano, muito cool, uns cenários muito fantásticos, muita metrópole, capitalismo e super potência… e então porque é que não vão para o campo ? Porque é que não vão pra um paízinho mais subdesenvolvido onde a alimentação ainda é saudável ?
    Não gostam de luz mas querem é fama e holofotes, essa é que é ! rs

    Beijo

    • bp63 permalink*
      Novembro 15, 2009 6:02 pm

      Branca

      Concordo, os gajos têm mais é que ir pastar para o campo onde semprem encontram mais trevas e não armarem-se em mormons disfarçados de betinhos góticos. ( autora é uma fundamentalista mormom que projecta nos vampiros os seus fantasmas)

  7. Bau P permalink*
    Agosto 11, 2012 10:22 am

    Reblogged this on A Sombra das Imagens.

  8. Maria permalink
    Agosto 11, 2012 10:37 am

    Por acaso li este há uns dias, bem simpático este vampiro, se comparado com os outros que já nos sugaram tanto e parecem até querer sugar-nos a alma.

  9. Agosto 11, 2012 5:17 pm

    Oh pa, tu nao existes Bau Pires!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: